Linha do tempo: a história da inclusão LGBTQIA2+ da Starbucks


Há mais de três décadas, a Starbucks tem o compromisso de criar uma cultura onde todos se sintam acolhidos. Somos parceiros da comunidade lésbica, gay, bissexual, transgênero e queer – apoiando todas as formas que as pessoas podem escolher para se identificar. Leia abaixo como a empresa apoia e defende LGBTQIA2+. 

História da inclusão LGBTQIA2+ da Starbucks

2022

Doações para organizações sem fins lucrativos

Entre junho de 2021 e maio de 2022, a Starbucks Foundation realizou mais de 300 doações para organizações sem fins lucrativos que apoiam comunidades LGBTQIA2+, totalizando mais de US$ 700 mil. Muitas dessas organizações foram indicadas por partners, com base em parcerias de bairro desenvolvidas por meio do trabalho em suas comunidades locais.

Apoio a causas importantes para os partners

A Starbucks fez uma doação de US$ 50 mil para o National Center for Transgender Equality, que defende políticas que buscam ampliar a compreensão e a aceitação de pessoas trans.

Proteção dos direitos dos partners e comunidades LGBTQIA2+ 

A Starbucks juntou-se a mais de 170 empresas e à Human Rights Campaign em uma declaração de defesa para abordar e se opor a ações políticas ou leis que discriminem a comunidade LGBTQIA2+. A declaração reitera nossa posição de que toda pessoa merece proteção consistente contra a discriminação por sua orientação sexual ou identidade de gênero.   

2021

Apoio aos membros vulneráveis da comunidade LGBTQ+

A Starbucks doou US$ 50 mil para o Lavender Rights Project, para apoiar o fornecimento de serviços jurídicos de baixo custo para pessoas transgêneros e queer de baixa renda e outras comunidades marginalizadas do estado de Washington, e US$ 50 mil para o National Center for Transgender Equality para aumentar a compreensão e a aceitação de pessoas trans nos Estados Unidos. 

Dennis Brockman nomeado diretor de inclusão e diversidade

A Starbucks nomeou Dennis Brockman como diretor de inclusão e diversidade, se reportando diretamente ao CEO da empresa. Partner há 13 anos, Brockman dedica-se a garantir que as perspectivas inclusivas sejam representadas nos níveis mais altos da empresa.

Reconhecimento pela igualdade no local de trabalho

Pelo 11º ano, a Starbucks recebeu pontuação de 100% no Índice de Igualdade Corporativa da Human Rights Campaign, com base nas políticas e práticas corporativas para a igualdade LGBTQ.

Doações para organizações sem fins lucrativos LGBTQ+ locais

Durante o ano civil, a Starbucks Foundation realizou 88 doações a organizações sem fins lucrativos que apoiam comunidades LGBTQ+, totalizando mais de US$ 150 mil. Muitas dessas organizações foram indicadas por partners, com base em parcerias de bairro desenvolvidas por meio do trabalho em suas comunidades locais.

2020

Ajuda durante a COVID-19

Doações realizadas somaram US$ 100 mil para a Human Rights Campaign e para o National Center for Transgender Equality, em homenagem ao Mês do Orgulho, para apoiar a membros vulneráveis da comunidade LGBTQ+ devido aos impactos causados pela COVID-19.

Doações para organizações sem fins lucrativos LGBTQ+ locais

A Starbucks Foundation realizou 100 doações para organizações sem fins lucrativos que apoiam comunidades LGBTQ+, totalizando mais de US$ 300 mil. Muitas dessas organizações foram indicadas por partners, com base em parcerias de bairro desenvolvidas por meio do trabalho em suas comunidades locais.

Reconhecimento pela igualdade no local de trabalho

A Starbucks recebeu pontuação de 100% no Índice de Igualdade Corporativa da Human Rights Campaign, com base nas políticas e práticas corporativas para a igualdade LGBTQ+ pelo décimo ano.

Pelo 10º ano, a Starbucks recebe uma pontuação de 100% no Índice de Igualdade Corporativa da Human Rights Campaign com base nas políticas e práticas corporativas para a igualdade LGBTQ.

Campanha #whatsyourname

A Starbucks UK lançou a campanha #whatsyourname  (em inglês, qual é o seu nome) para celebrar o ato significativo de pessoas transgênero e de gênero diverso usarem seu novo nome em público. Como parte desta campanha, £ 100 mil foram arrecadados para a instituição de caridade Mermaids em apoio a uma linha de ajuda para jovens trans e suas famílias.

Alteração de nomes nas certidões de nascimento de partners transgêneros 

No Brasil, em apoio ao Dia Nacional da Visibilidade Trans, celebrado em 29 de janeiro, a Starbucks lançou o projeto anual “I Am” (“Eu Sou”), que oferece suporte jurídico gratuito para partners transgêneros que desejam alterar seus nomes e gêneros em suas certidões de nascimento . Com a permissão dos participantes, a jornada emocional foi documentada e o vídeo ganhou o Grand Prix no Cannes Lions Festival 2021 e um Effie Award. 

2019

Criação de uma cultura de inclusão e diversidade

A Starbucks nomeou o primeiro diretor de inclusão e diversidade da empresa, responsável pela estratégia global de inclusão e diversidade.

Ajuda aos partners para aumentar suas famílias

Ampliação dos benefícios de fertilidade além das despesas de adoção, em uma ação para ajudar os partners cujas necessidades não são atendidas por seus planos de saúde, como casais do mesmo sexo que desejam se tornar pais ou indivíduos que procuram serviços de fertilidade. O Programa de Reembolso de Expansão Familiar cobre até US$ 10 mil para adoção, barriga de aluguel ou inseminação intrauterina (considerando o valor máximo vitalício de US$ 30 mil). A empresa também aumentou os valores máximos vitalícios para benefícios de fertilidade em todos os planos de saúde da Starbucks para US$ 25 mil para serviços de fertilidade e US$ 10 mil para medicamentos com prescrição médica.

Currículo antipreconceito

Em colaboração com a Universidade Estadual do Arizona (Arizona State University), a Starbucks lançou seu currículo To Be Welcoming (“Acolhedor”), com 15 cursos on-line gratuitos disponíveis ao público, desenvolvidos para abordar o preconceito por meio da compreensão da experiência humana, incluindo os cursos intersetoriais Welcoming Dialogue on Sexuality Bias (Acolhendo o Diálogo sobre Preconceitos de Sexualidade) e Welcoming Dialogue on Gender Bias (Acolhendo o Diálogo sobre Preconceitos de Gênero).

Parceria com Born This Way Foundation

A Starbucks e a Born This Way Foundation, da Lady Gaga, se uniram para ajudar a tornar o mundo um lugar mais solidário e acolhedor para a comunidade LGBTQ. Durante o Mês do Orgulho (de 1 a 30 de junho), a Starbucks Foundation realizou doações para a  Born This Way, em até US$ 250 mil, para criar um mundo mais gentil e corajoso.

Autoidentificação LGBTQ 

Partners novos e atuais agora podem se identificar na empresa como LGBTQ – assim como ocorre com outras identificações, como ser deficiência, refugiado, veterano e cônjuge de militar. Isso foi resultado dos esforços da rede de partners Pride Alliance para criar mais uma forma de promover o compromisso da empresa com a inclusão e a diversidade de todos os seus partners.

Defesa pela Proteção dos Direitos Civis

A Starbucks juntou-se a mais de 200 empresas para apresentar um “amicus brief” conjunto à Suprema Corte [dos Estados Unidos] em apoio aos direitos LGBTQ. O documento histórico argumenta que a lei federal de direitos civis existente deve proteger as pessoas LGTBQ contra a discriminação em contextos que variam de emprego à moradia, saúde e educação. Para protocolar o documento, a empresa trabalhou com grupos de direitos civis de destaque, como Human Rights Campaign, Lambda Legal, Out & Equal, Out Leadership e Freedom for All Americans.

A Starbucks também se juntou à Coalizão Empresarial, da Human Rights Campaign, em apoio à Lei da Igualdade, um projeto de lei que protege pessoas LGBTQ contra a discriminação em sua moradia, no local de trabalho, em acomodações públicas e outros ambientes no âmbito da lei federal. Desde então, a Lei da Igualdade foi aprovada na Câmara dos Deputados dos EUA.

2018

20 anos de Orgulho

Duas décadas depois que os partners da Starbucks participaram de sua primeira Parada do Orgulho em Seattle, centenas de partners, amigos e familiares da Starbucks Pride Alliance se juntaram aos eventos em celebração ao Orgulho em Londres (acima) e em todo o mundo.

Ampliação de benefícios para partners transgêneros

A Starbucks ampliou suas opções de plano de saúde para partners transgêneros para incluir não apenas a cirurgia de mudança de sexo (que já era contemplada desde 2013), mas também uma série de procedimentos que antes eram considerados estéticos, como cirurgia de aumento ou redução de mama, feminização facial, transplantes capilares, entre outros. “A Starbucks apoia e defende publicamente as pessoas trans e afirma que os procedimentos oferecidos não são apenas estéticos – eles salvam vidas. Eles fazem parte de um processo de afirmação”, disse Ron Crawford, vice-presidente de benefícios da Starbucks.

Apoio às comunidades LGBTQ+ no Brasil 

Desde 2018, a Starbucks no Brasil trabalha com grupos de apoio locais, como a Casa 1 (São Paulo) e o Grupo Arco-íris (Rio de Janeiro), para apoiar as ações de inclusão LGBTQ+ por meio da doação de vendas de produtos Starbucks, como o Pride Frappuccino® e camisetas comemorativas, para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade devido à sua orientação sexual. 

2016 

A Starbucks Foundation contribuiu com US$ 50 mil para o OneOrlando Fund para ajudar pessoas e famílias afetadas pelo tiroteio na boate Pulse em Orlando, Flórida.

Apelo ao tratamento igualitário

A Starbucks se une a mais de 200 outros líderes empresariais para pedir tratamento igualitário para a comunidade LGBTQ. Lucy Helm, então conselheira geral e agora diretora de partners, compartilhou uma carta aos partners ressaltando o compromisso da Starbucks com a inclusão. “Desde nossos primeiros dias, nos esforçamos para criar uma empresa e uma cultura que trate a todos – partners e clientes – com respeito e dignidade”, escreveu Helm. “Continuaremos a defender esses valores e defender nossos partners, nossos clientes e nossas comunidades.”

Uma pontuação perfeita

Pela primeira vez, a Starbucks recebeu a pontuação máxima (100) no Índice de Igualdade Corporativa 2015 (CEI, na sigla em inglês), uma iniciativa administrada pela Human Rights Campaign Foundation sobre políticas e práticas corporativas, passando a ser reconhecida como uma das principais empregadoras para a igualdade LGBTQ no local de trabalho.

2015

“Say my name” (Diga meu nome)

Para ajudar os partners na autoidentificação, a Starbucks atualizou seus sistemas de tecnologia para garantir que a documentação nas lojas refletisse o nome ou apelido “de denominação” de um partner, que seja consistente com sua identidade ou expressão de gênero. Este foi um movimento especialmente significativo para os partners transgêneros, que passaram a ver seu nome de escolha ao fazerem seu login no início do turno.

Criação de espaços seguros

Safe Place do Departamento de Polícia de Seattle foi lançado nas lojas Starbucks em Seattle, designando-as como locais seguros para vítimas de crimes e assédio anti-LGBTQ. Mais de duas mil lojas parceiras receberam treinamento SPD Safe Place e selos nas vitrines identificam as 100 lojas Starbucks certificadas na região da grande Seattle.

2015

A igualdade no casamento se tornou lei suprema nos Estados Unidos, graças à decisão da Suprema Corte dos EUA. No início do ano, a Starbucks assinou com o The People’s Brief em favor da decisão.

2014

A Starbucks hasteou a bandeira do Orgulho no alto de sua sede em Seattle, pela primeira vez. “Dado o nosso posicionamento sobre a diversidade e a inclusão de todas as pessoas, particularmente nesta questão, faz sentido hastear a bandeira em comemoração”, disse Lucy Helm, então conselheira geral e agora diretora de partners da Starbucks. “Ser aberta, inclusiva e com visão de futuro é a essência da Starbucks.”

2013

Uma declaração em voz alta

O presidente e CEO da Starbucks, Howard Schultz, faz uma declaração espontânea sobre diversidade e igualdade durante participação na Reunião Anual de Acionistas da Starbucks de 2013. Em resposta a um acionista que expressou sua opinião de que a empresa havia perdido clientes por causa de seu apoio à igualdade no casamento, Schultz respondeu, “Nem toda decisão é uma decisão econômica. Essa decisão foi tomada sob a ótica das nossas pessoas”.

Expansão do apoio aos partners transgêneros

A Starbucks apoiou partners transgêneros ampliando a cobertura de cirurgia de redesignação de gênero aos benefícios de saúde da empresa.

Promoção da igualdade no casamento

A Starbucks protocolou um “amicus brief” no caso da Suprema Corte dos EUA contestando a Lei de Defesa do Casamento. No ano anterior, a empresa havia se juntado a outras empresas empregadoras do Noroeste do Pacífico para apoiar a legislação de igualdade de casamento no estado de Washington.

2008

A Starbucks se uniu ao (RED)™ para contribuir com o investimento em programas de AIDS, na África, por meio do Fundo Global.

2007

É oficial

O grupo de apoio de partners Starbucks Pride se tornou oficialmente Starbucks Pride Alliance Network.

Uma cultura de pertencimento

A Starbucks emitiu o documento Diretrizes de Transição de Gênero no Local de Trabalho para apoiar partners transgêneros ou que estão considerando a transição, como forma de promover a conscientização pelo tratamento justo e equitativo de partners transgêneros e de gênero diverso.

2005

“The Way I See It” (A maneira como vejo)     

A Starbucks incluiu uma citação do autor Armistead Maupin em seus copos como parte da série “The Way I See It” (A maneira como eu vejo), uma coleção de pensamentos e expressões impressas na parte de trás dos copos Starbucks para inspirar o diálogo.

2002 

O primeiro Índice de Igualdade Corporativa da Human Rights Campaign incluiu a Starbucks em sua ferramenta nacional de benchmarking sobre políticas e práticas corporativas LGBTQ, com pontuação de 86.  

1996 

Partners LGBTQ (que posteriormente se tornou o grupo de apoio de partners LGBTQ da Starbucks) se reuniu informalmente em bares da área de Seattle. O grupo passou a ser chamado de Starbucks Pride Partner Network e cresceu para incluir milhares de partners em todo o mundo.

1991

A Starbucks criou uma nova política de saúde para colaboradores com doenças terminais, para eliminar a lacuna entre o tempo em que não poderiam mais trabalhar até se tornarem elegíveis para o seguro do governo. A política foi inspirada por Jim Kerrigan, um partner de longa data que descobriu que não podia trabalhar devido aos estágios avançados da AIDS. Kerrigan morreu um ano depois, mas centenas de partners continuaram participando de manifestações em sua memória, para apoiar pesquisas e programas de AIDS.

1988

A Starbucks ofereceu benefícios de saúde completos para colaboradores qualificados em período integral e meio-período, incluindo a cobertura para parcerias domésticas, ou união civil, entre pessoas do mesmo sexo.